De condição hereditária a Síndrome do X Frágil atinge tanto o público feminino como masculino. Trata-se de uma circunstância que interfere no comportamento e no desenvolvimento intelectual de quem possui a síndrome. Mas você sabia que a arte pode influenciar positivamente quem possui esta síndrome?

A atuação multidisciplinar com pessoas X frágil tem se mostrado como uma abordagem interessante do ponto de vista de pesquisas. Na prática é possível observar que esta vertente multidisciplinar realmente dá resultados. É o que pudemos verificar através de crianças e jovens X frágil que já estiveram em contato com as oficinas do Luarttes.

“Ao longo desses inúmeros anos de atuação com crianças e jovens especiais, passamos a conhecer um pouco mais dessa síndrome, através da interação diária em nosso Centro de Convivência”, afirma Margarete Petri, diretora do Luarttes. Segundo ela, as técnicas de arteterapia aplicadas a partir das atividades do Centro têm contribuído bastante para o desenvolvimento destes jovens.

Respeitar as singularidades, promover a integração, estimular o convívio em grupo. Todas estas ações são trabalhadas em oficinas que o Luarttes disponibiliza. As atividades propõem um novo olhar sobre o especial, de modo a incentivá-lo a ter novas experiências a partir do viés da arte.

Para obter mais informações sobre oficinas voltadas para jovens especiais, envie suas informações através desta página.

* Com informações de Fleury, Portal X frágil, Genoma Usp, Portal Seer

oficinas-luarttes-CTA

 

 

 

Write a Reply or Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *