Atividades lúdicas, exercícios físicos, oficinas culturais. Diversas opções podem proporcionar o desenvolvimento de jovens especiais. Além destas atividades citadas é relevante considerar ações de convívio social. É o momento em que o indivíduo se considera parte de um todo social, de grupos com interesses em comum.

“Visitas a espaços que fazem parte do cotidiano de qualquer pessoa. Este é o intuito dos passeios que criamos semanalmente aqui no Luarttes”, explica a professora da entidade, Ana Paula. Segundo ela,  é interessante proporcionar o contato dos jovens com ações do cotidiano, mesmo que passos simples, mas que resultam em integração. “É preciso acreditarmos que os especiais podem desempenhar tarefas do dia a dia. Ir no supermercado, escolher seu alimento, realizar o pagamento, interagir”, completa a professora.

O conhecimento adquirido a partir das novas experiências acaba munindo os jovens de um novo repertório. Isto contribui para o processo de aprendizado, e de desenvolvimento. Esta é a metodologia utilizada pelo Luarttes, de encorajar os jovens a conhecer novos ambientes, de proporcionar a interação social.

Além de momentos de visita a supermercados, restaurantes, teatros, museus; o Luarttes mantém uma série de oficinas para jovens especiais. Música, dança, informática e educação física adaptada e uma agenda repleta de passeios compõem o cronograma da entidade.

Entre em contato para obter mais informações.

CTA-Luarttes-RJ

Write a Reply or Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *